terça-feira, 26 de julho de 2011

Carambola pode ser fatal para o diabético



Carambola pode ser fatal para o diabético com problemas renais. A descoberta foi feita por acaso pelo médico Joaquim Coutinho Netto, professor do Departamento de Bioquímica e Imunologia e da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Ele descobriu que essa fruta contém neurotoxina capaz de provocar o óbito em pacientes com insuficiência renal. A neurotoxina em questão é tão potente que ele agora trabalha para descobrir um meio de utilizá-la como componente de herbicidas. Não se assuste, porém, quem gosta de fazer chá com a folha da carambola. Ao contrário da fruta, o chá de carambola não oferece perigo e pode continuar sendo consumido sem problemas.
Joaquim Coutinho Netto - "Descobri o efeito danoso da carambola quando um paciente que já vinha se submetendo a hemodiálise foi internado no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto com quadro de confusão mental, seguido de convulsões e óbito após 36 horas. Exames feitos durante a internação haviam mostrado que não havia necessidade de submetê-lo a nova sessão de hemodiálise. O único fato diferente em sua rotina havia sido a ingestão de suco de carambola pouco antes do surgimento daqueles sintomas.
Duas semanas depois, outro paciente chegou ao hospital com soluço e logo entrou em coma. Colocado em hemodiálise, sua situação foi revertida. Também nesse caso, havia sido registrado o consumo de suco de carambola. Sabendo que a carambola pode provocar soluços, surgiu a suspeita de que a fruta poderia ter alguma toxina que não estava sendo filtrada pelos pacientes com insuficiência renal.
Para verificar a teoria, preparei suco de carambola e injetei-o por uma cânula diretamente no estômago de ratos sadios, que nada sofreram. Quando injetei a substância diretamente no sistema nervoso central, os animais passaram a ter convulsões. O passo seguinte foi provocar insuficiência renal nos ratos e colocar suco de carambola em seu estômago. O resultado foi o mesmo observado nos pacientes do hospital, o que comprovou a existência da toxina, letal em pessoas ou animais que não estavam com seus rins em condições normais de funcionamento.
Quando o rim não consegue excretar a neurotoxina, ela atinge o sistema nervoso central pela corrente sanguínea, causando soluço, confusão mental, convulsões e óbito e a única forma de reverter esse quadro é submeter o paciente a hemodiálise. A reversão pode ser alcançada com apenas uma sessão, mas há casos em que o processo tem de ser repetido várias vezes.
As conclusões da pesquisa não significam que a fruta deve ser banida. Ela só é nociva a quem tem insuficiência renal, podendo ser consumida sem receio na ausência dessa condição. O chá feito com as folhas da caramboleira é consumido no Norte do País há muitos anos por sua fama de hipoglicemiante e pode continuar sendo utilizado, porque as folhas não têm a neurotoxina presente no fruto. Essa neurotoxina permanece ativa mesmo após processo de congelamento ou de cozimento e as mais ácidas são as que contêm maior quantidade de toxinas."
Fonte : " Diabetes Nós Cuidamos "

Nenhum comentário:

Postar um comentário